segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Papai é “boco”






Por Isis Correia







Às 5h da manhã, acordo com um “choramingo” da Elis e ouço um diálogo de pai para filha que dizia exatamente assim: “ô filha, tenha calma, papai é ‘boco’, NE?! Papai é boco... (traduzindo, broco) Que demora... mas o papai tá aprendendo...”. O diálogo complementava o cenário que se construía naquele momento... um pai, nos primeiros dias com a pequenina, e trocando fraldas em plena madruga. A cena me fez refletir sobre a importância da chegada de um filho na nossa vida. Fabrício era do tipo que às 5h da manhã não levantava se não fosse obrigado e, mesmo assim, se atrasava, se irritava e um sorriso era pedir o impossível. Com a chegada de Elis, eu que já o admirava pela sua bondade, companheirismo, fidelidade e inteligência, consigo encontrar mais adjetivos para descrevê-lo e amá-lo. A paternidade (de fato) trouxe a Fabrício mais maturidade e começou a mostrar que é possível superar dificuldades e transformar nossa visão sobre as coisas. Confesso que ele me surpreendeu... ah! e com certeza surpreenderá a todos que souberem que desde a primeira semana quem corta as unhas da Elis é ele, sem eu nem pedir, e que é ele quem alivia as cólicas massageando a barriguinha dela... Vejo se desenhar um homem responsável que agora busca correr atrás do prejuízo por razões que tendem a se tornar mais fortes com o passar do tempo. Ah! e como se não bastasse, colocar Elis para arrotar durante a madrugada também é responsabilidade dele... às vezes, o cansaço faz dele menos ágil... mas, em geral, ele é um ótimo pai e está sendo um ótimo companheiro. Hoje, vejo, mais do que nunca, a importância de ter alguém com quem contar neste processo de desenvolvimento de um ser. No nosso caso, Fabrício tem sido meu braço direito e fico muito agradecida por isso, mesmo sabendo que ele está fazendo o que todo pai de verdade deve fazer, participar. Sua paciência, seu carinho, as dezenas de vezes que se declara para nossa Elis, são hoje a semente de um amor que começará a cada dia a brotar dentro dela e a fortalecer esta relação entre PAI e FILHA. Amigos é o que eu acredito que eles serão. Hoje, Elis me enche de orgulho quando se entrega aos meus braços, nos momentos que só eu consigo acalentá-la (toda mãe tem este poder supremo... às vezes só o nosso jeitinho é quem acalma), mas sei que cada dia é uma contagem regressiva para que eu seja deixada de lado e ela seja louca pelo pai. Com o tempo, o papai “boco” começa a ser substituído por um super-herói, um ídolo, um exemplo... e neste caso, tenho certeza, que ela terá o melhor exemplo de integridade, bondade, moral, lealdade, inteligência e amor. Fabrício este texto é apenas para dizer o quanto nós te amamos e que este primeiro Dia dos Pais seja um dos momentos mais especiais de sua vida!!! Parabéns e obrigada por tudo isso!


5 comentários:

  1. ai, q lindo!!! parabéns p/ ele!!


    :)

    ResponderExcluir
  2. que lindo, sempre me emociono com os seus relatos!
    estou chorando de emoção agora.
    obrigada por esse blog.
    cirlandia...

    ResponderExcluir
  3. Abençoadas somos, pois hj os pais participam mais, fazem o q podem para nos ajudar. Já no tempo das nossas avos e em alguns casos, as mães, isso era responsabilidade exclusiva das mulheres! Fico feliz por vc poder contar c o Fabrício e pela Elis, que terá um pai, sempre a seu lado!! Parabens Fabrício!!! :)

    ResponderExcluir
  4. Faz teu nome, Fabrício!! (risos)

    Parabéns, véi!

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tô imaginando a cena do diálogo, quer dizer, do monólogo.
    Menina, que lindo texto ... mais um presente pelo primeiro dia dos pais do Fabrício.
    Olha, Elis vai ter muito orgulho de vocês dois! Cheiro

    ResponderExcluir